2º Evento Náutico Barragem do Rio São Bento 06 de julho de 2008

Localização da Barragem - SIDERÓPOLIS – SUL DE SC – A 250 KM DE FLORIANÓPOLIS

 UMA OBRA DA CASAN   -  COMPANHIA CATARINENSE DE ÁGUAS E SANEAMENTO – APOIO AOS ESPORTES NÁUTICOS NÃO POLUENTES

AVELISC – ASSOCIAÇÃO DE VELA E PRESERVAÇÃO ECOLÓGICA DA LAGOA DA CONCEIÇÃO – FPOLIS /SC

Evento comemorativo ao 2º Aniversário da Barragem do Rio São Bento e ao 37º Aniversário da CASAN – Companhia Catarinense de Águas e Saneamento.

 Como tudo começou…

Era uma vez um lago muuuuito solitário...

Era uma vez um lago muuuuito solitário...

A Barragem do Rio São Bento veio solucionar o problema de falta de água – e de água potável – em parte da região sul do estado de SC, castigada pelos poluentes da indústria carbonífera.  

O lago de 450he trouxe beleza extra ao local, emoldurado pela paisagem da Serra Geral.

Durante todo o ano a barragem fica acessível somente para visita de  grupos agendados.  

A Vela &ventos – Ações Náuticas propôs e a CASAN  aprovou: abrir os portões da Barragem para o público, uma vez por ano, na comemoração de seu aniversário, para um evento náutico com formato de festival náutico.

Em 2006, inauguração da Barragem: aberto ao público, solenidade de descerramento da Torre de Observação – 35 m de altura, com a presença do Governador do Estado, Luiz Henrique da Silveira, prefeitos municipais da região, diretorias da CASAN, Presidente Walmor de Luca, e autoridades convidadas.

a igreja submersa

A igreja submersa - o que eu não faço por uma missa? ;-)

Inauguração da Barragem - os dois únicos barcos - Kiwi e Nav's

A Vela &ventos levou dois barcos para uma apresentação especial durnte todo o dia, levando convidados para passeio. Os barcos foram o meu Kiwi – Bruma 19 - e o Nav’s – Frers 18 de Eduardo Pires – o Pirão. Os dois barcos de Florianópolis.

O dia estava claro, quente como verão, naquele dia 24 de junho de 2006. A beleza do lugar me encantou absolutamente. Saí de lá prometendo a mim mesma e ao meu proeiro e parceiro na vida,  o Ney, que ainda levaria muitos barcos para velejar naquele paraíso.

 2007 – 1º Evento Náutico Barragem do Rio São Bento

E o sonho se concretiza naquele dia frio e cinzento, belo como poucos!

Serra Geral ! Linda!

Ao fundo: Serra Geral ! Linda!

 Foram 6 caminhões de Florianópolis levando 3 veleiros de mini-oceano, oito dingues, 5 canoas a vela . De Içara, do Iate Clube Veleiros da Lagoa, foram convidados e aceitaram, sem nem mesmo me conhecer ( velejadores não são normais… ) , colocarem seus 3 tchê 17 e alguns monotipos em carretas e disputram conosco duas Regatas. Mini-Oceano e monotipo. O veleiro Duda, do Duda , venceu, o espertinho! Tinha um vento só pra ele! ;-) O pessoal da Lagoa dos Esteves é bom mesmo. De espírito aventureiro e de vela!

Duda - campeão Mini-Oceano 2006

Duda - campeão Mini-Oceano 2006

 Levamos também o remo: os clubes de remo de Florianópolis levaram 8 skifs, remo individual com 30 atletas que competiram em provas de revezamento.

Remo de Floripa dando show

Remo de Floripa dando show

As canoas a vela fizeram um belo espetáculo. Os bravos pescadores/velejadores da Costa da Lagoa.

Lotamos os dois hotéis da cidade mais próxima - a linda  Nova Veneza - a 8km da Barragem, e ainda mais de 20 apartamentos em hotel de Criciúma.

Uma festa linda, com a paisagem dessa vez diferente mas não menos encantadora: frio de 10 graus, tempo nublado, com belas nuvens brancas passeando entre os contornos da Serra Geral.

Canoas a vela - 2007

Canoas a vela - 2007

Cenário de lago europeu, lindo!

 

Mas a idéia não era só irmos lá e nos divertir. Tudo faz parte de um projeto maior, de educação ambiental, de abrir aos poucos os portões da barragem para esportes náuticos não motorizados, não poluentes  e de baixo impacto sobre o ecossistema. Interiorizar  a vela – difundir esse esporte em uma região onde não há barcos, abrir a barragem para o uso da população, de forma ecologicamente administrável e supervisionada.

2008 -

Foto de Marlon Silva. Ou seria da Lara? Bela dupla de ciclistas/fotógrafos.

Foto de Marlon Silva. Ou seria da Lara? Bela dupla de ciclistas/fotógrafos.

 Em 2008 a CASAN voltou a aprovar , agora um evento maior e buscando mais atletas da região, e com um caráter ainda maior de educação ambiental. 

Para isso ampliamos com atividades eco-esportivas no local:

E a torre balança

E a torre balança !!!

 

 

 

rapel na torre e muro de escalada dos grupos organizados da Região: Sul adventure e ASGEM – montanhista e do Grupo de Mountain Byke – todos de Içara. Moçada valente, consciente, um trabalho sério e muito forte.

Sul Adventure em ação!

Sul Adventure em ação!

O pessoal da byke fez a pedalada que virou símbolo do convite ao público: pedalaram 35 km de Içara até a Barragem, passando por Criciúma e Nova Veneza. Chegaram sob os aplausos do enorme público presente.

O trajeto de 35 km

O trajeto de 35 km

 

 

 

  

 

 

Garçon, por favor! Água geladinha!

Garçon, por favor! Água geladinha!

Foram convidados , aceitaram e fizeram do evento um sucesso:

- Projeto Social da APESPORTE – Laguna – canoe, remo, caiaque

- a Associação de Velejadores de Araranguá -

- de novo os amigos do Iate Clube Veleiros da Lagoa – Içara. E  o Duda levou de novo! ;-(  Bicampeão de Mini-Oceano da Barragem! Com seu Tchê 17 deixou todos os Brumas 19 de Floripa pra trás!

- Sul Adventure – montanhismo escalada trilhas – Içara

- Asgem – Assoc. Serra Geral de Montanhismo

- Assoc. de Mountain Byke de Içara

- Associação dos Canoeiros da Costa da Lagoa – canoa a remo e a vela

- LIC – Monotipos Classe Dingue

Pouco vento e a flotilha de mini-oceano embolada no meio do lago….  coisa linda!

Pra quê tanto lago? ;-)

- E o Duda na frente! A vela vermelha.  Falta de espírito esportivo, desse bicampeão da Barragem! ;-) Mas o Kiwi ficou em segundão, nas mãos da Kriz Sans, fotógrafa e velejadora, já que eu estava em terra atendendo 3.000 pessoas falando comigo ao mesmo tempo. 

Por falar nisso, houve quem dissesse que passaram pelo evento cerca de 5.000 pessoas. Foi por aí mesmo. Sucesso total.

A São José I , baleeira a Vela , sob o comando do querido amigo e paciencioso Pier Palumbo, ajudado pelo seu proeiro Wava levaram mais de 300 pessoas em passeios pelo Lago.  Pier Palumbo é um apaixonado estudioso e pesquisador de embarcações populares. Suaram debaixo do calor de 27/28 graus – surpresa!!! A Barragem de novo, como em 2006, cheia de sol e brilho!

Olha o povo querendo navegar na São José I

Fila pra velejar com a Baleeira a Vela - São José I - de Pier Palumbo

 

 

 

 

 

E todos só temos a agradecer a atitude pioneira da CASAN, através do leme seguro de seu Presidente, Walmor de Luca, que tem apoiado a vela em Santa Catarina através do patrocínio dos campeonatos de Mini-Oceano em Florianópolis e agora, firmando o evento náutico da barragem no seu calendário oficial.

Interiorizar a vela é uma ação de ponta no mundo náutico. Associar a isso um projeto de educação ambiental para a preservação da Barragem e do seu entorno, para oferecer opções de esporte para crianças e jovens de escolas públicas, formar cidadãos conscientes da importância da água para as nossas vidas , é o próximo passo.

O público foi uma surpresa ainda maior: o evento encantou a todos, a beleza do local unida à plasticidade dos barcos na água, foi para muitos, um espetáculo inesquecível.

E ainda mais: ao final do evento: LIXO ZERO! Um público que soube respeitar esse seu patrimônio valioso. Água é saúde, é vida. Quem na região sofreu por tanto tempo a sua falta, sabe que todo o transtorno e todo o sacrifício de uma população que antes vivia ali, na localidade de São Pedro, tem que valer a pena e deve ser respeitado.

Obrigada a todos os loucos e sonhadores e suas embarcações maravilhosas que acreditaram nesse sonho!

Obrigada à CASAN pela oportunidade de mostrar todo o potencial transformador dos esportes náuticos e de aventura. Parabéns pela visão aberta, por acreditar em um futuro melhor para todos!

Jackie Goulart

 

About these ads